G. Alvaro, toda 4ª feira no TROCISTAS!

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Anais Pré-históricos I – Evolução humana, e sua tendência à homossexualidade

Anais Pré-históricos I – Evolução humana, e sua tendência à homossexualidade*.
Por G. Alvaro


Olá!

Como todos puderam observar, hoje falaremos sobre o aspecto evolutivo da mais errônea criação divina: o homem. Mas antes, como de costume, vamos ensebar um pouco.

No princípio, criou Deus o Universo. Coisa bonita de se ver, o espaço abrigava as mais magníficas criações divinas, onde se encontravam ETs de todos os tipos e tamanhos e cores. Criaturas de infinita inteligência, os ETs trataram de evitar uma borda incômoda do universo, onde se localizava o sistema solar, mais precisamente o planeta terra.
Este planeta específico, a Terra, foi criado com a sobra de criatividade e material divino. Onde, só para ocupar espaço, o Chefe entrou numa vibe de criar um planeta brega, tão brega quanto Reginaldo Rossi1. Assim estava criado o nosso planeta.
Seguindo conselhos de suas civilizações ETs avançadíssimas, realmente identificadas como sua real imagem e semelhança, o Pai decidiu povoar o planeta com o que havia de mais novo em matéria de povoamento popular de baixa renda: dinossauros e homens das cavernas2. Há quem afirme que realmente Deus seria um Extraterrestre, mas essa concepção é tão bizarra que nem o próprio autor a teria levado a serio3.












detalhe: suposto retrato falado de deus. Créditos: Toninho da Lua.

É sabido que, depois da primeira crise financeira mundial, os dinossauros foram extintos (há quem julgue que os dinossauros não sobreviveram ao aumento significativo do valor do tecido para suas roupas, que eram extremamente enormes e dispendiosas, tendo assim sucumbido às praias de nudismo pré-históricas, os atuais sítios arqueológicos).
Assim sobraram apenas os animais de pequeno e médio porte, bem como os homens das cavernas.
Para começar, poderíamos citar o Homem Neandertal, mas achamos desnecessário, pois o mesmo era um ser tão estúpido, tão peludo e tão insignificante, que dele somente temos vestígios genéticos nos espécimes mais ignorantes e descartáveis da face da terra. A saber, juízes de futebol, operadores de telemarketing e o povo em geral.

Pois eis que o primeiro homem pré-histórico que realmente vamos descrever aqui é o conhecido Cro-magnon.
O cro-magnon, homem extremamente das cavernas, rapaz rústico e do campo. Vivia sempre na caverna e observava o mundo pela sombra que a luz de fora projetava na parede4. O nome Cro-Magnon não passa de uma corruptela da palavra CROMADO, pois era de se observar claramente o leve tom prateado de sua pele.
fotografia de Cro-magnon em estado de contemplação.








Crédito: Dr Lou Reed (senhor fantástico e vocalista do velvet underground)

Infelizmente (ou felizmente) os cro-magnon desenvolveram uma estranha atração uns pelos outros (todos do sexo masculino, até porque não havia cro-magnon feminino, fruto de um leve esquecimento por parte do criador.). Essa atração ficou cada vez mais institucionalizada, causando furor divino. Então aconteceu que, incomodado com tanta viadagem no seu mundo e nos seus cro-magnon, Deus, em sua imensa justiça cega, decidiu punir os cro-magnon de uma forma severíssima: a partir daquele dia, os pobres surfistas prateados5 purpurinaram ao seu novo estágio. Um estágio mais avançado, porém teriam que carregar eternamente o vergonhoso nome “Homo” antes de seus nomes científicos, graças ao pecado da sodomia que cometeram6. (E é e nessa parte que se autoexplica a forte tendência homossexual do ser humano.)
Extremamente tristes, porém felizes(!), os cro-magnon evoluíram instantaneamente para um novo patamar: o Homo-Erectus.
Particularmente, não há nada de muito importante para se dizer sobre o homo-erectus, exceto o fato de ser homo (e toda a humanidade também teria essa tendência a partir desse momento), e a pouco usual característica de manter um estado pleno e constante de excitação (erectus). Andavam um pouco curvados, devido ao peso que seu enorme e rijo membro exercia sobre sua frágil coluna vertebral. Também desmaiavam constantemente, haja vista que a constante irrigação sanguínea de sua perna-de-três mantinha permanentemente seu cérebro pouco irrigado. É também extremamente importante observar a enorme capacidade de reprodução do homo-erectus, onde se observa uma taxa estatística quase olímpica7.
Infelizmente, a capacidade de pensar desses homens antigos não era lá muito apurada, o que os levou a fugir da polícia e se refugiar eternamente no alto de morros, se espalhando desordenadamente e torcendo para o flamengo8. Formou-se a primeira comunidade carente.
Muito porém, impressiona um único homo-erectus ter desejado ficar no baixo, ao invés de seguir a diáspora de seus irmãos. Por esse ato, este homo subitamente evoluiu para o pouco conhecido Homo(não-tão)sapiens.
foto do homo(não-tão)sapiens. Cortesia: superpop.


Apesar de sua ousada atitude evolutiva, o nosso homo(não-tão)sapiens, ainda mantinha atitudes retrógradas, como assistir jogos de futebol (masculinos) e apresentar programas de fofoca (femininos), além de uma única e impressionante incapacidade de entender a maioria das coisas normais, pagando vários micos9. Num dado momento, um homo precisava dizer para o outro que estava muito apertado para urinar, e que iria fazê-lo ali mesmo. Estava criada a primeira tentativa de comunicação, onde o locutor apertava as pernas uma contra a outra, e fazia um tipo de movimento com os joelhos, roçando-os um no outro, enquanto que com a mão esquerda apertava os escrotos e fazia cara feia. A partir daí, a cada necessidade, algum homo(não-tão)sapiens criava uma forma diferente de se expressar. Nem sempre (leia-se quase nunca) eram compreendidos. É de se imaginar a merda que isso ia dar10.
Linguagem a parte, alguém tinha que aprender alguma coisa. Criaram-se os CIEPs, e automaticamente, brotaram os Homo-sapiens, ou seja, homos que soubessem ler, escrever e fazer conta (não mais que isso, segundo parâmetros do governo federal). Aglomeram-se em partidos políticos e câmaras municipais. Sua diversão geralmente acaba em CPI. Costumam ter a língua presa. Nem vai ter foto dessa vez...

Finalmente, belo dia, depois de nego não ter absolutamente o que fazer, alguém prestou vestibular. Estava assim criado o homo-sapiens-sapiens! Consta que a primeira faculdade foi instalada em Nova Iguaçu, RJ, o que não faz a mínima diferença, pois ninguém quer ir a Nova Iguaçu, muito menos morar lá11. E a partir desse homo-sapiens-sapiens é que começaram a nascer os homens como o de hoje, com um leve desvio para o lado paneleiro da história12. É como diz minha mãe: não se fazem mais homens como antigamente.

Verdade, e a ciência está aí pra provar isso. E isso tudo pra não citar Darwin, que era sabidamente outro boiola; e para não também citar os macacos, que passavam todo o seu tempo vago comendo bananas, jogando xadrez e confabulando teorias sobre o universo. Nada têm a ver conosco esses primatas.
Espero ter esclarecido bastante vossas mentes.



_________________________________________
*ALVARO G. Artigo Originalmente publicado no livro "Mamãe, por que papai é viado?", Clodovil Hernandes org. pg 24.
1-Reginaldo Rossi, deus do brega (Brega: gênero musical caracterizado por ser brega). Interessante observar que, mesmo centenas de milhares de anos antes do nascimento de Reginaldo Rossi, Deus já mostrava sua onisciência criando algo igualmente brega.
2-Importante salientar que, insatisfeito com sua criação (a saber, os dinossauros), mesmo após todo investimento em material e planejamentos galáticos, os dinossauros seriam destruídos por um cometa enorme. Apesar de estar realmente arrependido dos dinossauros, o cometa foi fruto de um bizarro erro de cálculo espaço-matematico, e não propriamente fruto da onipotência celestial.
3- Däniken, Erich Von. Eram os deuses astronautas? 1968.
4-Platão o visitava.
5-Por isso que surfista é tudo viado.
6-Interessante como nego já queimava a rosca antes mesmo de Sodoma, mas todo mundo já chamava o ato de sodomia. Mais uma referência ao saber atemporal divino.
7-Devido ao homo-erectus ser observado sempre copulando ou se masturbando, a equipe do blog optou por não disponibilizar a foto do mesmo. Caso haja interesse pesquise quaisquer sites pornô.
8-Sim, o time é antigo mesmo.
9-Pagar mico era um ato muito comum para os homo(não-tão)sapiens. Visto que eram sensivelmente burros, e os seus colegas primatas(em especial o prestativo mico leão dourado) muito inteligentes, era comum um homo pagar alguma prenda a um mico para que este lhe ensinasse determinado tópico de sintaxe, ou de matemática. Os micos, não curtindo essa onda capitalista, nunca pediam dinheiro em troca de seus trabalhos pedagógicos; por sua vez, pediam que o pedinte fizesse algo extremamente estúpido, de onde podemos apreender o significado direto da expressão pagar mico.
10-Babel.
11- cf: Fani.
12-Insira sua foto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Roleta